CALOUROS DE  AGRONOMIA FAZEM DEEP DOWN FOCADO NA PRODUÇÃO REGIONAL

quinta-feira, 2 de maio de 2019

Foi um mergulho intenso nas culturas de Batata, Milho e Feijão.


Os calouros aprenderam as primeiras técnicas de preparo do solo para plantio das três culturas, indo desde a dessecação pré-plantio até a correção do solo com calcário, fósforo e potássio, além do manejo de pragas na palhada.
Depois de preparar o solo, a tarefa é fazer a escolha correta do híbrido de milho, da variedade de feijão e da cultivar de batata mais indicados para nossa região e para cada época de plantio. A quantidade de plantas por área cultivada também é fundamental para uma boa produtividade.
O professor Luciano Visentin conta que existe  uma população ideal de plantas por área cultivada. "De milho são entre 60 e 77 mil plantas por hectare, feijão entre 150 e 180 mil plantas por hectare, e da batata entre 50 e a 55 mil tubérculos por hectare".
Marcelo Henrique El Khouri Abramoski é natural de Manoel Ribas, região central do Estado. No sítio, a família tem dificuldades de produzir milho devido às condições de clima e relevo. "O milho é uma das culturas mais fortes do município, além de ser importante para a subsistência na pequena propriedade, pois serve para alimentação da família e também dos animais".
O estudante quer ajudar a melhorar a produção familiar. "Minha preferência é a cultura da soja, mas tudo o que eu aprender aqui vou aplicar lá", afirma.

Na oportunidade, o professor Luciano  mostrou quais são os inseticidas mais indicados para controlar as pragas. "Depois que a cultura germina, há necessidade de se controlar as lagartas e percevejos. Para cada praga existe a indicação de um inseticida específico", explica.
Os estudantes viram as pragas ao vivo, pegaram na mão, tiraram foto. O objetivo foi explicar os danos causados em cada cultura.  "Os danos do percevejo, por exemplo, são causados no início do desenvolvimento e só vão ser percebidos na fase reprodutiva do milho que é a má formação das espigas".
A acadêmica Ana Paula Rickli aproveitou para tirar as dúvidas sobre as doenças. Ela diz estar satisfeita com a parte prática do curso. "Dá mais motivos para continuar estudando. A aula prática é, para quem adora estar no campo, a melhor parte dos estudos".
A Fitotecnia é o estudo sobre o cultivo e reprodução das plantas, uma parte fundamental e que é vista durante todo o curso de Agronomia. Para o a acadêmico Vinícius Demenck essa primeira experência foi muito positiva. "Foi ótimo, a gente aprendeu bastante coisa sobre doencas, pragas e a germinacão das três culturas. Foi possível comprovar no campo aquilo visto em sala, acompanhamos de perto como é na realidade".

A turma aproveitou a ida ao campo e visitou uma área recentemente colhida.  "Foi possível aprender mais sobre plantio direto e o acúmulo de palhada com todos os seus benefícios para a agricultura, tanto na cultura do milho, quanto na cultura do feijão", complementa o professor.

CALOUROS DE  AGRONOMIA FAZEM DEEP DOWN FOCADO NA PRODUÇÃO REGIONAL

Galeria de Fotos